Ir direto para menu de acessibilidade.
Você está aqui: Página inicial > Vacinação > Perguntas e Respostas
Início do conteúdo da página

Perguntas e Respostas

Última atualização em Domingo, 04 de Julho de 2021, 09h42 | Acessos: 11436

Ferramenta segura e eficaz para prevenção, a vacinação contra Covid-19 é feita em Londrina desde a segunda quinzena de janeiro. A campanha é executada pela Secretaria Municipal de Saúde (SMS), com apoio de outras secretarias e órgãos municipais, seguindo o cronograma do Plano Municipal de Imunização contra a Covid-19.

 

A vacinação é gratuita? 
Sim, cada vacina é disponibilizada pelo Sistema Único de Saúde (SUS), atendendo a ordem dos grupos prioritários. Não há venda dessas vacinas no Brasil, nem fornecimento em rede privada/particular.

 

Quem será vacinado primeiro? Qual será a ordem de vacinação contra a Covid-19? 
Como ainda não há doses suficientes para atender toda a população que será imunizada, a vacinação é feita de forma gradual. No primeiro grupo prioritário, estão os profissionais e trabalhadores em saúde, idosos institucionalizados e trabalhadores dessas instituições. O segundo grupo prioritário engloba todos os idosos, em ordem cronológica, começando pelos de maior idade.

A listagem completa com os grupos prioritários de cada etapa está disponível no Plano Municipal de Imunização contra a Covid-19, da Prefeitura de Londrina.

 

Até quando ficará disponível o cadastro on-line da Prefeitura de Londrina? 
A estimativa é que o cadastro permaneça aberto para cada grupo prioritário até sua conclusão, e o agendamento das vacinações ocorre mediante a chegada de doses. O cadastro é importante para que a Prefeitura estabeleça as estratégias de vacinação e consiga quantificar o número de doses necessárias para cada grupo prioritário.

 

Quem não tem internet ou não conseguiu preencher, pode se cadastrar de outra forma? 
As equipes das escolas e dos Centros de Educação Infantil do Município estão capacitadas e aptas para fazer o cadastro e agendamento, para pessoas sem acesso à internet ou que não saibam preencher o formulário on-line.

 

Que documentos e informações preciso colocar no formulário? São todos obrigatórios? 
Cada grupo prioritário possui determinadas informações que são obrigatórias. De forma geral, é preciso indicar o nome completo, CPF, endereço de residência e qual a UBS de referência (mais próxima de sua residência). Os profissionais e trabalhadores de saúde também devem indicar, além destes dados, o endereço de onde trabalha.

 

Errei alguma informação durante o cadastro, o que eu faço? 
Basta encaminhar e-mail para O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. e pedir a alteração, ou buscar auxílio na escola municipal mais próxima. Em alguns casos, será necessário refazer todo o cadastro, seguindo orientação enviada pelo e-mail.

 

Como sei que meu cadastro foi validado? Quanto tempo leva essa análise? 
O prazo médio para análise e validação do cadastro varia de dois a cinco dias, e é feita somente para os grupos que já possuem a vacinação liberada.

 

Serei avisado quando o agendamento estiver disponível? De que forma? 
Quando seu grupo for liberado para a vacinação e o agendamento for liberado, o aviso ocorre de duas formas: por mensagem SMS para o celular do cadastro, e divulgação oficial por meio da Secretaria Municipal de Saúde (redes sociais e imprensa).

 

Não tenho como imprimir o formulário, posso salvar em formato digital no celular ou tablet? 
Sim.

 

Para ser vacinado vão me dizer qual vacina será utilizada? 
Sim. Essa informação constará na carteira de vacinação, entregue no atendimento, assim como a data prevista para retorno e aplicação da segunda dose.

 

Quais vacinas serão aplicadas no Paraná? 
O estado utiliza vacinas aprovadas pela Anvisa e disponibilizadas pelo Ministério da Saúde. Até agora, estão sendo fornecidos quatro imunizantes: a Coronavac, produzida pelo laboratório Sinovac em parceria com o Instituto Butantan, a vacina Covishield desenvolvida pela parceria Oxford/AstraZeneca, em convênio com a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz),  a Pfizer, em parceria com a BioNTech, e mais recentemente a Janssen.

Qual a eficácia e segurança das vacinas?
A Coronavac é uma vacina de 1ª geração produzida a partir do vírus inativado. Isso significa que ela possui todas as partes do vírus e pode gerar uma resposta imune mais abrangente, se comparada com outras vacinas que utilizam somente uma parte de proteína. Vacinas de 1ª geração também apresentam poucos efeitos colaterais.
Essa vacina é aplicada em duas doses, com intervalo entre doses de 14 a até 28 dias. Os estudos clínicos realizados com essa vacina mostraram que para casos graves e moderados a eficácia é de 100% e, nos casos muito leves, 50,38%. Isso significa que ela traz 50,38% menos chances de contrair a doença. Se mesmo vacinado o paciente contrair a doença, há 100% de certeza de que a enfermidade não vai se agravar.

Já a vacina de Oxford/AstraZeneca é recombinante, e utiliza um adenovírus de chimpanzé como vetor para levar o material genético do coronavírus. Também é aplicada em duas doses, porém o intervalo entre elas é de 12 semanas. Este imunizante demonstrou, mediante estudos clínicos, eficácia de 82,4% após aplicação da segunda dose.

A vacina da Pfizer e da BioNTech contra a COVID-19 é baseada no RNA mensageiro, ou mRNA. A eficácia da vacina contra a COVID-19 é de 95%, com esquema de duas doses, num intervalo de 12 semanas entre as doses, conforme orientações do Ministério da Saúde e Anvisa. 

Já a vacina Janssen utiliza a tecnologia de vetor viral, um vírus enfraquecido que transporta os genes virais para dentro das células, estimulando a resposta imunológica. A mesma metodologia, considerada de 3ª geração, é utilizada nos imunizantes Oxford/AstraZeneca. 

Como todo medicamento, as vacinas podem provocar eventos adversos. As reações mais comuns são dor, inchaço ou vermelhidão no local da aplicação; dor de cabeça; dor no corpo; náusea; e raramente febre. E quanto à segurança, a maioria dos efeitos adversos apresentados foram de gravidade leve a moderada.

 

Quem não pode ser vacinado, mesmo que esteja no grupo prioritário? 
Assim como é recomendado para outras vacinas, pessoas com febre moderada ou grave não devem ser vacinadas e a imunização deve ser adiada, para não que não haja confusão entre sintomas e possíveis efeitos colaterais.

Quem teve diagnóstico confirmado de Covid-19 deve esperar, no mínimo, 30 dias após a data do primeiro sintoma ou do resultado do exame RT-PCR. Outras situações podem ser avaliadas com seu médico.

 

Gestantes, lactantes ou puérperas poderão tomar a vacina? 
Para mulheres nessas condições e que também pertencem aos grupos de risco, a vacinação poderá ser realizada após avaliação e com decisão compartilhada entre a mulher e o seu médico.

 

A vacina é recomendada para crianças e adolescentes? 
Até esse momento, as duas vacinas contra a Covid-19 aprovadas pela Anvisa não contemplam pessoas menores de 18 anos.

 

As vacinas causam alguma reação? Se eu passar mal, como devo proceder? 
Tanto nos testes clínicos como entre os primeiros vacinados, não houve ocorrências graves relacionadas às vacinas. E em qualquer vacinação pode ocorrer os chamados “eventos leves”, como dor local, dor fraca ou moderada no corpo, febre baixa. Nesse caso, basta procurar uma Unidade Básica de Saúde ou Pronto Atendimento 24 horas. Para eventos mais graves, que são muito raros, o paciente em Londrina será direcionado ao Hospital Universitário da UEL.

 

A vacina é segura? Quais os benefícios?

A vacinação é segura e as vacinas podem apresentar efeitos colaterais, porém estes mais leves e já são esperados.
As vacinas que estão liberadas para uso emergencial foram testadas e aprovadas pela Anvisa, Agência Nacional de Vigilância Sanitária.
Os benefícios da vacinação superam em muito os riscos, e muito mais doenças e mortes ocorreriam sem as vacinas. Com a vacina reduz a probabilidade de internação grave.

 

Agendei um horário para ser vacinado mas preciso mudar, é possível? 

Sim, a mudança do horário agendado pode ser feita, pelo mesmo site do cadastro.

 

Faço uso de medicamentos, há alguma contraindicação para tomar a vacina? 
A vacina somente é contraindicada às pessoas que têm hipersensibilidade ao princípio ativo ou a qualquer um dos seus componentes. Confira a bula da Coronavac , da AstraZeneca/Oxford, da Pfizer, e da Janssen. Pacientes em uso de medicação para doenças reumatológicas, oncológicas, anticoagulantes e corticoides (uso contínuo) devem apresentar carta médica.

Também é contraindicada às pessoas que já apresentaram uma reação alérgica intensa ao tomar dose anterior de vacina contra a Covid-19. Na dúvida, pergunte ao profissional de saúde.

 

Todo mundo é obrigado a se vacinar? 
Quanto mais pessoas se imunizarem, mais fácil será de conter a disseminação do coronavírus. O Plano Nacional de Imunização do Ministério da Saúde estabeleceu como meta vacinar ao menos 90% da população alvo de cada grupo.

 

Por que mesmo após tomar a vacina ainda preciso usar máscara e as demais medidas preventivas? 
Usar máscara, lavar as mãos e manter o distanciamento social são medidas eficientes e necessárias para evitar a disseminação do novo coronavírus. Ainda faltam muitos meses para que todos sejam vacinados contra a Covid-19, e mesmo quem já recebeu o imunizante ainda pode continuar sendo um agente de transmissão da doença.

 

registrado em:
Fim do conteúdo da página