Ir direto para menu de acessibilidade.
Você está aqui: Página inicial > Carteira de Vacinação
Início do conteúdo da página

Certificado Internacional de Vacinação

  • Última atualização em Terça, 10 de Março de 2020, 14h01
  • Acessos: 739

Para obter o CIVP de febre amarela no Centro de Orientação ao Viajante, agora é exigido o agendamento prévio pelo sistema online da Anvisa

 Anvisa

Para obter o documento os viajantes agora devem necessariamente realizar o agendamento prévio acessando o sistema pelo endereço: http://portal.anvisa.gov.br/certificado-internacional-de-vacinacao-ou-profilaxia . 

Ao entrar no site, o usuário precisa fazer um pré-cadastro e, em seguida, o agendamento, conforme disponibilidade no cronograma. Após cumprir todos os passos recomendados, o viajante deve comparecer ao COV Londrina, no dia e horário indicado no agendamento, para a emissão do CIVP. Os atendimentos no COV Londrina ocorrem de segunda a sexta-feira, das 8 às 13 horas, na Rua Atílio Octávio Bisatto 480, Vila Sian, atrás do Shopping Boulevard. O telefone para contato é o 3372-9400.

A vacina para Febre Amarela é disponibilizada durante todo o ano pelas Unidades Básicas de Saúde (UBSs) de Londrina, nos horários regulares de funcionamento. A orientação para os viajantes que não podem receber a vacinação contra febre amarela, por algum motivo de contraindicação, é que procurem um profissional médico para avaliação clínica do risco benefício da vacinação.

Caso o médico mantenha a contraindicação, é necessário informar sobre a viagem e solicitar um atestado de isenção de vacinação em inglês ou francês. A Anvisa disponibiliza modelo de atestado de isenção. Outros modelos poderão ser utilizados, desde que contenham as mesmas informações.

Passos principais- Para obter o Certificado, o cidadão deve realizar quatro etapas antes da emissão:

1 – Comprovar vacinação já feita ou tomar a vacina exigida. Caso o viajante não tenha comprovação ou não tenha tomado nenhuma dose de vacina exigida, pode obter a vacina gratuitamente em um posto de saúde do SUS ou procurar os serviços de vacinação privados credenciados.

2 - Realizar o pré-cadastro e agendamento no SISPAFRA. Para a emissão do certificado, o viajante deve realizar um pré-cadastro no endereço http://portal.anvisa.gov.br/certificado-internacional-de-vacinacao-ou-profilaxia , clicar na opção “cadastrar novo” ou no link “cadastro”.

O Sistema de cadastro e agendamento funciona melhor no navegador Internet Explorer. Se houver dificuldades para concluir o cadastro ou problemas de senha, é possível entrar em contato pelo 0800 642 9782 para auxílio.

3 - Comparecer ao COV Londrina, no dia e horário indicado no agendamento, para emissão do CIVP. É imprescindível a presença física do viajante, ou que ele esteja representado com procuração por meio de assinatura devidamente reconhecida em cartório, pois a emissão está condicionada à assinatura do viajante, conforme previsto na RDC 21/2008, inciso III do Art. 1º - Anexo II.

Crianças ou menores de 18 anos não precisam estar presentes quando os pais ou responsáveis solicitarem a emissão do seu CIVP nos Centros de Orientação do Viajante.

4 - Apresentar a documentação necessária para emissão do CIVP. O viajante deve apresentar a carteira de vacina, para comprovar a vacinação, e um documento oficial original com foto. A carteira de vacina deve estar preenchida corretamente com a data de administração da vacina, fabricante e lote, assinatura do profissional que realizou a aplicação e identificação da Unidade de Saúde onde ocorreu a aplicação.

Moradores de outros municípios além de Londrina, devem verificar o correto preenchimento da carteira de vacina, principalmente o número de lote.

São aceitos como documentos de identificação, a Carteira de Identidade (RG), o Passaporte e a Carteira de Motorista válida (CNH), entre outros documentos. A apresentação da certidão de nascimento é aceita para menores de 18 anos. Crianças a partir de 9 meses já começam o esquema de vacinação.

Contraindicações – A vacina da febre amarela é contraindicada para os seguintes grupos: menores de 9 meses; maiores de 60 anos; pacientes com imunodeficiência primária ou adquirida; indivíduos com imunossupressão secundária à doença ou terapias; imunossupressoras (quimioterapia, radioterapia, corticoides em doses elevadas); pacientes em uso de medicações anti-metabólicas ou medicamentos modificadores do curso da   doença (Infliximabe, Etanercepte, Golimumabe, Certolizumabe, Abatacept, Belimumabe, Ustequinumabe, Canaquinumabe, Tocilizumabe, Ritoximabe); transplantados e pacientes com doença oncológica em quimioterapia; indivíduos que apresentaram reação de hipersensibilidade grave ou doença neurológica após dose prévia da vacina; indivíduos com reação alérgica grave ao ovo.

registrado em:
Fim do conteúdo da página