Ir direto para menu de acessibilidade.
Você está aqui: Página inicial > Últimas notícias > Saúde presta contas do terceiro quadrimestre de 2019
Início do conteúdo da página

Saúde presta contas do terceiro quadrimestre de 2019

  • Última atualização em Quarta, 11 de Março de 2020, 10h11
  • Acessos: 440

Objetivo é tornar público os números sobre as receitas, despesas e ações registradas de setembro a dezembro do último ano

 

Audiencia Saude Quadrimestre VH1a

 

A Secretaria Municipal de Saúde prestou contas relativas ao terceiro quadrimestre de 2019, referente ao Fundo Municipal de Saúde, do qual é gerenciadora, na Câmara de Vereadores. O objetivo é mostrar as ações e os números sobre as receitas e despesas da pasta. Para a Saúde, o recurso geral repassado no ano passado aumentou, totalizando R$ 295,634 milhões – ou 26,27% das receitas oriundas de impostos e transferências constitucionais. Em 2018, este valor foi de R$ 278,528 milhões. O limite percentual estabelecido em lei é de 15%.

No último quadrimestre de 2019, foram entregues diversas Unidades Básicas de Saúde (UBSs): de Paiquerê, Piza, João Paz, Warta e Maria Cecília. Neste período oito unidades tiveram suas obras licitadas: Jamile Dequech; Padovani; Eldorado; Marabá; Cabo Frio; Guanabara; Irerê; Vila Brasil; e outras sete tiveram o edital de licitação publicado em dezembro de 2019: Cafezal; Chefe Newton; Bandeirantes; Vila Ricardo; Lindóia; Aquiles; e Armindo Guazzi.

Com relação às internações hospitalares de média complexidade, a Saúde realizou 1.326 procedimentos com serviços próprios, que custaram R$ 841.604,61. Nos serviços contratualizados, foram aplicados R$27.374.901,88, para quase 22 mil atendimentos. Aos de alta complexidade, foram destinados R$25.521.208,09 em 4.718 procedimentos.

Audiencia Saude Quadrimestre VH2aO secretário municipal de Saúde, Felippe Machado, avalia que o último quadrimestre de 2019 foi muito produtivo. “Diversas obras de reforma e construção de UBSs foram entregues pelo prefeito Marcelo Belinati, em diversas regiões da cidade, ampliamos a capacidade de atendimento de especialidades, que é um grande gargalo do Sistema Único de Saúde (SUS), e a prefeitura investiu na contratação de especialistas para a Policlínica Municipal. Também fechamos o quadrimestre com 26% do orçamento da Prefeitura investidos em saúde, o que demonstra que esta administração trata com prioridade absoluta a saúde do cidadão londrinense”, afirmou.

Serviços – Na audiência foram apresentadas as consultas médicas realizadas na Policlínica de Londrina, nas especialidades de geriatria (atendimento ao portador de Alzheimer); cardiologia; dermatologia, incluindo atendimento à hanseníase; endocrinologia; nefrologia infantil; pneumologia (asma) e pneumologia (doença pulmonar obstrutiva crônica/DPOC); pediatria (Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade/TDAH) e hematologia. Ao todo, foram realizadas 2.418 consultas médicas nestas especialidades. No terceiro quadrimestre houve admissão de novos profissionais na Policlínica: urologista, neurologista, cardiologista e endocrinologista.

O Centro de Atenção Psicossocial, que engloba os Centros de Atenção Psicossocial (CAPS) AD, I e III, realizou 4.498 acolhimentos diurnos e noturnos; além de 6.052 atendimentos em grupo, 11.196 individuais e 5.476 familiares. Os CAPSs também desenvolveram ações de reabilitação psicossocial, práticas corporais, expressivas e comunicativas, atenção às situações de crise, promoção de contratualidade no território, matriciamento e atenção a situação de crises, totalizando outros 8.870 atendimentos.

O Centro de Referência de IST/HIV/AIDS, Hepatites Virais e Tuberculose distribuiu 7.400 medicamentos nestes quatro meses; realizou 300 atendimentos psicológicos, 2.950 consultas médicas, 12.283 procedimentos por auxiliares e técnicos de enfermagem, 3.423 procedimentos de enfermeiros e 130 pacientes foram atendidos na odontologia. O Centro de Referência também distribuiu 50.880 preservativos masculinos e 1.009 femininos e realizou 1.095 testes rápidos/orientações.

Na produção do Centrolab, foram registrados 751.585 atendimentos de setembro a dezembro, sendo 52 referentes ao tratamento da hanseníase e 1.322 com relação à tuberculose. Mais de 54 mil exames de urina foram feitos, quase 137 mil exames de imunologia e 79.641 de hematologia, entre outros.

A Maternidade Municipal registrou 796 pacientes de Londrina internadas, neste período e 42 de outros municípios. Foram 479 partos normais, correspondendo a uma taxa de parto normal de 60% e outros 319 partos cesáreos, com uma taxa de 39,9%.

As equipes do Serviço de Atenção Domiciliar (SAD) realizaram 1.459 atendimentos médicos, 1.153 de enfermagem e outros 2.854 de auxiliares de enfermagem. A equipe de apoio realizou 265 atendimentos com assistentes sociais, 301 com nutricionistas, 890 com fisioterapeutas e 230 com psicólogos. O média de pacientes atendidos em casa por mês, neste período, foi de 124 pessoas.

Pronto Atendimento – Com relação às consultas nas unidades de 16 e 24 horas, que dão suporte à atenção básica de saúde no município, incluindo os pronto-atendimentos do Leonor, Maria Cecília e União da Vitória, PAI e UPAS, foram realizadas 161.515 consultas. No terceiro quadrimestre foram feitos cerca de 50 mil exames de raio-x, nas UPAs Sabará e Centro-Oeste e PAI.

No mesmo período, o Complexo Regulador de Urgência e Emergência (SAMU–192) atendeu, ao todo, mais de 49 mil chamados durante os quatro meses. Destes, quase mais de 36 mil referiam-se efetivamente aos atendimentos médicos. O restante esteve relacionado a transferências hospitalares, trote, desistências e outros.

Atenção Primária – De acordo com a Diretoria de Atenção Primária em Saúde, foram computadas 25.771 consultas odontológicas e 88.751 procedimentos odontológicos nas UBSs. Já o Centro de Especialidades Odontológicas (CEO) realizou 2.243 atendimentos e 6.959 procedimentos.

As equipes do Núcleo de Apoio a Saúde da Família (NASF) realizaram 13.418 atendimentos, que incluem avaliações/diagnóstico, prescrições terapêuticas e procedimentos clínicos/terapêuticos dos profissionais fisioterapeutas, nutricionistas, educadores físicos, psicólogos e farmacêuticos. Já equipe do Consultório na Rua, que atende pessoas em situação de rua, realizou 1.425 atendimentos no período.

A Vigilância Sanitária realizou a inspeção em 1.698 estabelecimentos. Além disso, foram concedidas 2.466 licenças sanitárias, foram analisados 154 projetos arquitetônicos e aprovados outros 34 projetos.

 

Fotos: Vivian Honorato

 

registrado em:
Fim do conteúdo da página